Cristina Gonçalves

COACH | TERAPEUTA | AUTORA | PNL TRAINER

bookmark bookmark
crisgoncalves On 21 Setembro 2018

197250-OYDYDR-707 SER IRRESPONSÁVEL COMPENSA!

Nas minhas leituras diárias da grande obra do Tao Te Ching (versão do grande Mestre Wayne Dyer),

reli a lição 44 – “Viver Sabendo quando parar”

O versículo pede-nos para refletir sobre

  • O que significa mais: A tua pessoa ou a tua reputação?
  • O que te acrescenta mais: A tua pessoa ou os teus bens?

Afirmo que o que ganhas te traz mais problemas do que o que perdes!

Que paradoxo!!! Estes ensinamentos têm este poder de nos deixar a pensar.

De desconstruir o nosso sistema de pensamento com aparentes paradoxos.

Mais à frente na leitura deste capítulo, o autor desmonta a mensagem e aconselha:

Se perseguir os teus sonhos está a minar a tua saúde, para.

Se está a fazer estragos nas tua relações, para.

Se te está a deixar esgotado, para.

Se te impede de desfrutar a vida, para.

Se sabes quando parar e desistir, ficas protegido de todos esses perigos e

desfrutas de uma existência prolongada e satisfatória, conectada com o Tao (Deus)

Foi óbvio o que tinha de fazer. A minha alma sabia, mas o Ego não queria deixar.

Tinha apenas que parar um pouco. Parar o suficiente para voltar a ouvir a voz do meu coração.

Parar o tempo necessário para ganhar clareza. Parar quanto fosse necessário para resgatar

o prazer pelas coisas simples e maravilhosas da vida…

O Ego começou a dizer em voz alta: “Isso é uma irresponsabilidade, não podes parar de trabalhar nos teus projetos agora”

Depois outra voz falou mais alto (a do meu terapeuta) e lembrou-me: “O teu processo de cura passa por seres mais irresponsável e divertir-te mais”

Com a consciência, foco e coragem que me acompanha desde o último fim de semana foi fácil decidir.

Que se lixe! Lancei tudo ao ar e decidi: Hoje vou ser irresponsável e parar.

Vou fazer apenas o que gosto e me apetece.

Vou fazer o que me diverte e expande e não o que sou obrigada a fazer,

sendo que a maioria das vezes sou obrigada apenas por mim mesma…

Saí, fui fazer uma aula de pilates, regressei e almocei olhando para o dia soalheiro raro na Ericeira.

Sabia o que tinha de fazer a seguir. Escrever este texto rápido (pois a minha alma o pedia) e seguir para a praia.

Não vos consigo descrever o entusiasmo e energia extra que esta decisão de parar

por tempo indeterminado, sem culpa nem arrependimentos me trouxe.

Só sei que tenho de sair já, senão não aproveito o maravilhoso dia que o Universo me brinda hoje 🙂

Se puderes só por hoje para. Para com as obrigações, para com as culpas e as responsabilidades.

Faz simplesmente o que te apetece fazer, sem magoar nada nem ninguém e

desfruta do prazer de ser LIVRE nem que seja por 10 minutos!

Verás que essa pequena libertação interior te conecta mais com a alma e

podes ganhar energia e foco extra para fazer o que queres e precisas a seguir!

 

Cristina Gonçalves – Terapeuta, Coach e Facilitadora 

 

 

 

Categories: ARTIGOS, Dicas, Transformação

2 Respostas

  1. Susy diz:

    Adorei este artigo.

    Já há algum tempo, desde Julho, depois de estar cansada e esgotada por querer fazer muita coisa, por querer carregar às responsabilidades de tudo depois da morte do meu pai adoptivo no mes de Março, chego algo que me disse… PARA, não lei em nenhum livro, apenas algumas coisas se começaram acontecer a minha volta, desavenças com a minha mãe, sentimento de frustração e raiva. E depois comecei a pensar, a falar para os meus botões… a reflectir sobre a morte inesperada do meu pai (ja era a 2da vez que perdia um pai de forma inesperada, pois meu pai biológico morreu de um enfarto, numa manha de uma terça feira quando eu tinha 12 anos). Depois de 35 anos, a história se repete-se “uma morte inesperada provocada por uma queda numa quarta feira de manha antes do almoço”, e comecei a pensar sobre a vida os seus misterios. E ai comecei sim a fazer as coisas que a alma me pede para fazer e não o que o EGO me diz que devo fazer. Ter mais consciência do tempo kairos (todo tem o momento certo) e deixar de viver tanto no cronos. Sem deixar de ter objectivos, de planificar os meus afazeres e ter as minhas actividades, mas comecei a olhar as coisas de uma forma diferente, começar a fazer o que me da mais prazer e procurar o mais hermoso naquilo que mais me custa. Aceitar que quando algo não se realiza na data planificada é porque ainda não é o momento certo, e procurar tempo para desfrutar das coisas que mais me dão prazer como fazer pilates, yoga, ginastica desfrutar de um lindo dia com um sol resplandecente dar um ou varios mergulhos no mar. Aprendi que as coisas e momentos que nos fazem mais felizes não custam nada são gratuitos. Apenas é saber viver e desfrutar cada momento, deixar viver apresado respeitar os meus ritmos e não me sentir pessoalmente atingida pelos que os outros pensasm acham da minha vida.

    É muito bom saber como varios seres humanos estamos em sintonia, ou eu diria em sicronia 🙂

    Feliz dia e feliz fim de semana para ti

    Bjs Susibel

Comente o artigo